Home » Sarrasin: um pedacinho da França nos Jardins

Sarrasin: um pedacinho da França nos Jardins

Brasil | novembro 2015 |

Com todos os atentados que estão acontecendo e com toda a comoção que envolveu o mundo todo, nós paramos para pensar, por que a França é tão querida e especial? No Bistrô Sarrasin é possível viver um pedacinho da França nos Jardins, sua culinária espetacular e seu jeito de viver a vida celebrando as pequenas alegrias.

Uma charmosa casinha, localizada na Alameda Lorena, no bairro do Jardins, em São Paulo, abriga matriz do bistrô Sarrasin.

IMG_3929

O nome Sarrasin já nos reporta a algo muito francês, a farinha Sarrasin, feita com trigo Sarraceno, é o ingrediente-chave das galettes, crepes típicos da Bretanha, produzidas na casa. Em São Paulo, o Sarrasin é a única casa que se dedica quase que exclusivamente a esta iguaria. À receita original, diminuímos a quantidade de manteiga, o que deixa a massa fina ainda mais crocante e leve. Este é apenas um dos truques do chef e sócio João Souza, catarinense que comanda a cozinha do Sarrasin desde a inauguração em 2010. “Brinco com o recheio. Trago brasilidade com a mistura de sabores para dentro da massa”, garante ele.

Semente de um fruto que lembra o ruibarbo, o trigo Sarraceno,  nasceu na China e espalhou-se rapidamente pela Ásia e Europa, tornando-se essencial na alimentação desses povos. É considerado energizante e nutritivo, apresenta altas quantidades de farelo, elevado índice proteico (superior ao do arroz, trigo ou milho). Por não conter glúten é frequentemente utilizado como substituto da farinha branca na panificação. Está explicado porque os franceses e francesas são tão esbeltos e elegantes.

Sarrasin

No cardápio, os 28 sabores ganham nomes de artistas e intelectuais franceses – caso da Voltaire, que leva figo caramelizado no vinho do Porto, queijo chevrotin e copa de javali.  Além dos recheios clássicos bretões (como o de ovo, presunto e emmenthal, na galette Rodin), Souza cria outros surpreendentes, como a galette Verger, com moqueca de badejo, e a Rimbaud, de picadinho de filé, os pratos acompanham uma vistosa salada verde temperada com mostarda dijon.

Para entrar no clima e harmonize seu prato com uma xícara de sidra bretã! Ou delicie-se com os drinques do bartender Izaque Carano, como o trio de Mojitos (tradicional, maracujá e morango) ou o Manhatan!!

E não vá embora sem provar a seleção de crepes doces ou o nosso sorvete artesanal. E que sorvete! De tão cremoso, lembra uma musse.

Um brinde à França e suas “marravilhas”!

Por Carolina Ronconi – Meninas no Boteco

Instagram: @meninasnoboteco

Blog: www.meninasnoboteco.com.br

Entre em Contato

Ligue para +55 11 3287 6886 ou deixe sua mensagem