Home » Salta – O noroeste argentino e seus encantos 

Salta – O noroeste argentino e seus encantos 

Argentina | julho 2018 |
Salta

A região vinícola, entre montanhas verdejantes, concentra várias atrações e passeios –incluindo o mítico Tren de las Nubes, que chega a 4.200 metros de altitude

Localizada em um vale de clima seco, no noroeste da Argentina, rodeada por montanhas,  Salta era uma escala para as rotas comerciais que vinham do sul rumo a Bolívia, no período colonial. Com a independência da Espanha, o lugar ficou meio parado no tempo, o que colaborou para a preservação e o belo cenário arquitetônico.

A paisagem serranas e os vinhedos que brotam ali, com o tempo, estão colocando Salta na lista de desejos de viagem muitos brasileiros. As vinícolas da região se valem do tempo seco, com 300 dias de sol ao ano, e da altitude, na casa dos 1600 metros, para produzir excelentes vinhos. Visita aos produtores, spas de vinho e lojinhas que vendem de geleias a sorvetes estão entre as delícias da região.

Embora não se compare a Mendoza em termos de produção (para cada garrafa produzida em Salta, vinte são produzida ao sul), os rótulos do noroeste argentino estão cada vez mais celebrados. A Torrontés é a uva por excelência da região, dando origem a um comemorado branco seco e frutado. Mas há variedades como Malbec, Syrah e a Cabernet Sauvignon.

Não faltam atividades na região. Dos vinhedos às “quebradas”, a paisagem muda muitas vezes durante o caminho de uma cidade para outra. O centrinho nervoso de Salta é a Plaza 9 de Julio e sua catedral rococó. Mais além da praça, construções históricas do século 19 incluem o Museo Provincial de Bellas Artes e sua bela exposição de arte sacra. Um dos destaques na área é a fachada super colorida da Igreja de São Francisco. Para quem gosta da noite, a rua Balcarce concentra bares e restaurantes com música ao vivo, onde a muvuca é boa.

E há o mítico e lento Tren de las Nubes, para um passeio lúdico. As paisagens até San Antonio de los Cobres e a travessia do Viaducto La Polvorilla, passando por um abismo de mais de 200 metros, são estonteantes. Talvez falte um pouco de ar a 4200 metros de altitude, mas pode ir sossegado porque há tanques de oxigênio disponível para quem perder o ar.

Como chegar: A Aereolineas Argentinas tem um voo semanal direto de GRU para o aeroporto de Jujuy, aos sábados. Como alternativa, você pode voar com escala em Buenos Aires e chegar tanto em Jujuy quanto em Salta, que também conta com um aeroporto.

Temperatura: a amplitude térmica é muito alta nesta região. Quando visitamos, em junho de 2018, pegamos temperaturas de 1 grau ao amanhecer a 25 graus durante o dia.

Melhor época: Você pode ir para Salta durante todo o ano, a diferença vão ser os programas e a paisagem, que muda a cada estação. Outubro e Novembro são os melhores meses para visitar a região, pois ainda é seco e as temperaturas não são tão elevadas. De Dezembro à Março é quando costuma chover mais, mas não deixa de ser alta temporada. A época da colheita das uvas é durante o mês de Abril, portanto se o seu interesse são os vinhos, aproveite para colocar a mão na massa.

Atenção: Em Junho alguns hotéis costumam fechar para manutenção, mas em Julho já abrem de novo, pois é mês de férias.

Entre em Contato

Ligue para +55 11 3287 6886 ou deixe sua mensagem