Home » Irlanda – O que ver em cada região

Irlanda – O que ver em cada região

ao redor do mundo | março 2019 |
irlanda-5-partes


Paisagens estonteantes, castelos, pubs, praias remotas, cenários de filmes e muita história para contar. Dividimos a Irlanda em cinco partes, com as principais atrações de cada região. Confira as Dicas Original Miles pra explorar essa grande ilha e monte seu roteiro com a gente:

LESTE

A capital Dublin conta com excelentes museus, como o Museu Nacional da Irlanda, focado em arqueologia, e o Irish Museum of Modern Art e seu acervo contemporâneo. Cosmopolita, a capital da Irlanda tem restaurantes fantásticas e uma vida noturna animada. De fato, vale dar um rolê pela rua de bares e pubs Grafton St. Para provar das maravilhosas cervejas irlandesas, vá a cervejaria Guinness Storehouse.

Entre as principais atrações, há a Catedral St. Patrick e o famoso Castelo de Dublin. Nos arredores, Castletown House se destaca como a maior e mais imponente propriedade georgiana do país. Foi construída pelo homem mais rico da Irlanda em sua época, William Conolly (1662-1729). Portanto, na mansão, há uma galeria incrível que abriga um número de impressionantes retratos de família e trabalhos de estuque feitos pelos Francinis.

Outro palácio que merece a visita é Powerscourt Estate, com jardins italianos, construído em 1731. Detalhe: o lugar foi usado como locação para os filmes “O Conde de Monte Cristo” e “Barry Lyndon, de Stanley Kubrick.

Mil anos mais antigo do que Stonehenge (Inglaterra) e seiscentos anos mais antigo que as pirâmides do Egito. Brú na Bóinne  é um importante complexo de pedras neolíticas, perto do Rio Boyne. Posteriormente, na Idade do Ferro, o lugar foi utilizado como cemitério. Hoje, é considerado Patrimônio Mundial da Irlanda. As excursões são com vagas limitadas, portanto, é preciso reservar antes. 

Para passeios de natureza, o Wicklow Mountains National Park oferece algumas das mais belas paisagens de montanha do país. Glendalough (“Vale dos Dois Lagos”), por sua vez, é um antigo assentamento monástico, que leva os visitantes a caminhar por sua paisagem espetacular, rica história, arqueologica e abundante vida selvagem.

No início do século XV, essa fortaleza estava em declínio, mas os monumentos e prédios de pedra permanecem tão encantadores e poderosos quanto certamente devem ter sido no passado.

SUDESTE

A cidade de Kilkenny tem castelo, catedral e ruas medievais. Além disso, foi cenário de naufrágios ao longo dos séculos, o litoral e as penínsulas contam muitos contos de ataques vikings, monges solitários e cavaleiros cruzados.

Tem todo o charme e toda a história que você poderia pedir, além de pubs antigos, que tocam música ao vivo, e bons restaurantes. 

Uma das atrações mais impressionantes da região sudeste e do país, The Rock of Cashel (a”rocha”). Que é uma colina de pedra calcária, coberta de verde luxuriante, erguendo-se da planície. O lugar foi usado como base para os invasores galeses, que posteriormente se tornaram reis dessa região da Irlanda. Aliás, fica apenas uma caminhada de cinco minutos da cidade de Cashel.

Fundada pelo Conde de Pembroke no século XIII, para os monges que habitavam o local, a Abadia de Tintern fica entre lagos, riachos, bosques e ruínas. A maior parte do edifício original ainda está de pé. Talvez a parte mais atraente seja o jardim murado Colclough, restaurado em 2010.

SUDOESTE

Cork City, a segunda maior cidade da Irlanda, fica no sudoeste. É conhecida por sua comida excepcional. Assim, o Mercado Inglês de Cork é parada obrigatória dos gourmets para provar os melhores produtos locais. Como carnes, queijos e outras delícias das fazendas dessa região. É realmente comida digna de uma rainha: Elizabeth II visitou o mercado durante sua histórica turnê pela Irlanda em 2011.

Um dos programas legais, na Irlanda, é visitar destilarias de uísque. No sudoeste fica uma das mais famosas, a Jameson Old Midleton Distillery. Assim, os visitantes fazem um passeio divertido e cultural pela história da bebida, com direito a degustação. 

No interior, Bantry House é umas das casas de campo mais atraentes da Irlanda. Principalmente pelas suas obras de arte luxuosas, assim como pelo seu ambiente magnífico, com jardins com vista para a baía. Construída no início do século XVIII, muitos de seus belos móveis foram reunidos pelo Segundo Conde de Bantry. O destaque é a sala de jantar, que se assemelha a um cenário extravagante. Há um café simpático. com mesas sob a varanda, que serve chá e almoços simples.

Perto da cidade de Cork, o Castelo Blarney é conhecido pela famosa “Blarney Stone”. Onde os visitantes são encorajados a beijar a pedra por superstição, na esperança de que sejam dotados do poder de persuasão.

Se a ideia é passar uns dias no meio do nada, a Península De Beara é o lugar perfeito. Na fronteira entre Cork e Kerry, Beara oferece o refúgio perfeito para quem procura tranquilidade e relaxamento. Aproveitando as belas paisagens naturais. Posteriormente, outro local remoto são as  Ilhas Great Skellig, onde havia uma comunidade de monges cristãos. Em busca de isolamento, eles escolheram esse lugar entre rochas, Patrimônio Mundial da UNESCO, que serviu de set para alguns filmes da saga Star Wars. Durante a viagem de barco, você pode ver diversas espécies de pássaros, dentre eles os raros “puffins”.

O Parque Nacional de Killarney, na região sudeste, guarda as paisagens naturais mais bonitas da Irlanda, com lagos, montanhas, florestas, vida selvagem e ruínas do castelo. Fique atento para os cervos nativos da Irlanda que pululam na floresta e chegam a nadar para alcançar as ilhas que pontuam os três lagos do parque.

Com paisagens selvagens e belas que incluem lagos, praias, vales, ruínas de castelos, ilhas, montanhas e o Oceano Atlântico a oeste, oAnel de Kerry, na Península de Iveragh, deve entrar no roteiro. Os 180 quilômetros do anel podem ser percorridos de carro ou ônibus –ou ainda de bike. Siga pelo sentido horário, sente-se e aprecie as vistas estonteantes.

OESTE

Galway é uma cidade conhecida por suas encantadoras ruas de paralelepípedos e moradores amigáveis . Acima de tudo, com pubs pintados com cores vivas, repletos de atividades e música tradicional irlandesa, artistas de rua e festivais, a cidade é uma festa!

Afinal, não pode faltar na viagem uma sessão de música folclórica irlandesa. Um lugar ideal para ter essa experiência ao vivo, que quase sempre acontece nos pubs, é a aldeia de Kilfenora, conhecida como a cidade da música tradicional.

Entre as atrações mais populares do oeste, Doolin e os penhascos de Moher (Cliffs of Moher) valem a visita. As falésias com mais de 200 metros resistem contra o avanço incansável do Atlântico. Ademais, no roteiro do oeste, também não pode faltar uma esticada a The Burren.Que é um planalto de calcário que cobre 250 quilômetros quadrados. Burren vem do nome gaélico para “terra rochosa” ou “grande rocha”, com um terreno que só existe nessa parte do planeta. 

Clonmacnoise, talvez a principal cidade monásticas da Irlanda, também fica ali. Dessa forma, para os interessados no cristianismo primitivo, é um destino imperdível.

Com três mil hectares de montanhas, pântanos, campos e bosques, o Connemara National Park é um paraíso para os amantes da natureza. Assim sendo, é lar de inúmeras espécies nativas, incluindo veados, pôneis selvagens e borboletas. Já no lado sul da Baía de Galway, as Ilhas Aran provaram ser atraentes para os viajantes durante séculos. A pesca e a agricultura e o turismo são as principais atividades. Além disso, conta com paisagens dramáticas, variedades de flores silvestres e espécies de aves ameaçadas de extinção.

NORTE 

Desde que a paz voltou a Belfast no final da década de 1990, a capital da Irlanda do Norte sofreu uma transformação surpreendente. A cidade é hoje um moderno e próspero centro cosmopolita, com muitos hotéis e restaurantes. Um dos monumentos mais interessantes é o Titanic Experience. Assim sendo,inaugurado em 2012, o lugar recria esse período fascinante da história. Trazendo à vida as experiências não só dos passageiros do famoso navio, mas também dos trabalhadores que realizaram essa proeza da engenharia há mais de um século. 

Além disso, o Patrimônio Mundial da UNESCO, The Giant’s Causeway (“A Calçada dos Gigantes”) é composta de 40.000 colunas de basalto, formadas por um antigo fluxo de lava vulcânica que resultou num interessante padrão regular. Além disso, perto dali fica a famosa ponte de corda Carrick-a-Rede e o castelo Dunluce. Ou seja, duas atrações que não podem ficar de fora.

Em seguida, nesta região da Irlanda, você não pode perder um passeio pela cidade de Derry e suas muralhas de até  25 metros de altura e 30 metros de largura. As fortificações estão entre as mais bem preservadas da Europa. Entretanto, foram concluídas em 1618 para defender a cidade dos líderes gaélicos em Donegal. 

Por fim, no mar, recomendamos um passeio de barco pelo Lough Erne até chegar na Ilha Devenish, a maior de várias “ilhas sagradas”. Os restos de um mosteiro agostiniano, fundado ali no século VI por St. Molaise, incluem uma magnífica torre redonda do século XII em condições quase perfeitas. Mas no noroeste, há ainda a península de Hornhead. Com um paredão rochoso de quase 200 metros, guarda incontáveis espécies de pássaros. Todavia, a melhor vista das falésias é a partir da água, mas a estrada do penhasco é vertiginosa. Em conclusão, prepare-se para fortes emoções!

Quer mais inspiração de viagem? Quer saber dos eventos mais bacanas que acontecem pelo mundo? 
Siga nosso Instagram e Facebook!

Entre em Contato

Ligue para +55 11 3287 6886 ou deixe sua mensagem