Home » Dicas de Fernando de Noronha – Guia prático para explorar a ilha

Dicas de Fernando de Noronha – Guia prático para explorar a ilha

Brasil | junho 2018 |
Dicas de Fernando de Noronha

Como chegar, quanto tempo ficar, a melhor época para ir, e o que não esquecer. Confira aqui um pequeno guia para curtir o arquipélago sem sustos. 

Veja nossas dicas de Fernando de Noronha:

Fernando de Noronha é um pedaço do céu na Terra. É um arquipélago cheio de vida e belezas naturais que só se vêem ali.  A preservação é a chave do lugar, por isso é um destino perfeito para quem procura natureza, sol e mar. Mas, antes de ir, vale saber algumas informações úteis, para não cair de pára-quedas e se surpreender.

1.O Arquipélago está afastado 360 quilômetros de Natal (RN), 545 quilômetros de Recife (PE). Como chegar lá? Existem os voos regulares da Gol e da Azul, saindo dessas duas capitais. A viagem dura cerca de uma hora. Dica: na ida, procure se sentar na janela do lado esquerdo do avião para uma vista incrível do Morro dos Dois Irmãos e Baía dos Porcos.

2.A estadia ideal é de no mínimo de 4 a 5 dias. Uma semana é perfeito para quem gosta de fazer as coisas com calma, revisitando os lugares favoritos e com tempo para relaxar.

3. A maior parte do arquipélago é Parque Nacional Marinho, que detém 2/3 da ilha principal e inclui todas as ilhas secundárias. Assim, é possível preservar os ecossistemas marinhos e terrestres, a fauna, a flora e os demais recursos naturais. Já a Área de Proteção Ambiental (APA) compreende a porção urbana da ilha, bem como áreas destinadas à conservação dos recursos naturais e da vida silvestre.

4.O arquipélago foi declarado Patrimônio Mundial Natural da Humanidade pela UNESCO pela sua riqueza em biodiversidade, paisagem exuberante e infraestrutura turística com diversos restaurantes e pousadas das mais simples às mais sofisticadas.

5.Existe uma Taxa de Preservação Ambiental (TPA) para visitantes. Ela é cobrada de acordo com a quantidade de dias de permanência na Ilha. Pode ser paga no aeroporto, mas para evitar pegar filas, vale fazer o pagamento pela internet.

6. Para visitar o Parque Nacional Marinho, é necessário adquirir um ingresso. Ele pode ser comprado pela internet ou em alguns pontos de venda nos PIC (Ponto de Informação e Controle) Golfinho-Sancho e PIC Sueste, em quiosque na Praça Flamboyant (Vila dos Remédios), e no centro de visitantes do ICMBio. Esse ingresso é válido por 10 dias e dá acesso às áreas principais do parque como praias do Sancho, Sueste e Atalaia, além de ser necessário para a realização de passeios agendados no ICMBio, passeios de barco e mergulhos.

6. Para se locomover, recomendamos alugar um buggie para ter liberdade total. Também existem táxis e serviço regular de ônibus, que circula das 5h às 22h, mas só passa pela estrada principal. A maioria das ruas de Noronha é de terra e só há uma estrada principal asfaltada, com 7 quilômetros de extensão, que liga o Porto à Baía do Sueste. Muitas vezes caminhar é inevitável, pois em muitos lugares só se chega a pé. É possível ainda alugar bicicletas em algumas pousadas e Noronha conta com sistema de bicicletas compartilhadas, com alguns (poucos) pontos espalhados pela Ilha.

7. Boa parte das praias não tem estrutura de barracas nem nada pra vender. Vale levar um lanche se quiser curtir o dia inteiro. Sugestão de lugares para compra de mantimentos: supermercados Noronhão e Poty, ambos na Vila do Trinta. Outra opção é sair da praia e aproveitar um almoço em algum lugar com uma vista linda, como o Mergulhão, o Varanda ou o bar do Meio, na praia do Meio.

8. Bancos na Ilha? Santander (Vila dos Remédios), Bradesco (Vila do Trinta) e Caixa Econômica (dentro do supermercado Noronhão, na Vila do Trinta). Cartões de crédito são aceitos na maioria dos lugares e o celular funciona razoavelmente, a não ser nos lugares mais isolados.

9.  Atenção à época do ano: de agosto a fevereiro, há a estação seca. Para prática de surf, vá de dezembro à março, especialmente bom em janeiro e fevereiro. Para a prática de mergulho autônomo e snorkel, agende-se de setembro e outubro, quando a visibilidade é melhor. A estação chuvosa ocorre de março a julho, mesmo assim as chuvas são esporádicas com muitos dias de sol.

10. Não é permitido uso de filtro solar nas piscinas naturais, portanto, vale levar roupas com proteção UV. Sugerimos também levar um tênis ou bota de trekking para as trilhas mais longas, que muitas vezes tem lama e caminhos íngremes com pedras. Para a noite, Havaianas… a noite de Noronha é descontraída e o calçamento pede chinelos confortáveis.

12. Não esqueça o snorkel! É acessório indispensável em Noronha.

13. Importante: não toque nos animais. Mesmo sabendo que tartarugas, raias e tubarões, ali, são inofensivos, a não ser que se sintam ameaçados.

14. Algumas trilhas e piscinas naturais só podem ser visitadas por meio de agendamento prévio realizado no Centro de Visitantes do ICMBio. Aconselhamos fazer esses agendamentos o mais rápido possível, no primeiro dia de viagem. A fila é algo chato, mas vale a pena pois é sua chance de visitar os lugares mais bem preservados da Ilha.

15. Por fim, se tomar algum tipo de remédio, não esqueça de levar, assim como produtos alimentícios específicos, caso tenha restrição alimentar, pois as opções na ilha são caras e limitadas nesse aspecto.

Entre em Contato

Ligue para +55 11 3287 6886 ou deixe sua mensagem