Home » Feira Kantuta – Bolívia em SP

Feira Kantuta – Bolívia em SP

Brasil | julho 2017 |
Feira Kantuta

É relativamente normal eu chegar em algum evento aqui em SP e orientais serem a minoria no local. Mas ir para a feira da Kantuta não me fez sentir em mais um lugar assim. Com mais de 95% do público presente ser de origem boliviana, foi praticamente estar na Bolívia!

Confesso que inicialmente fiquei um pouco intimidada considerando o infeliz (mas não todo) cenário de trabalho entre coreanos e bolivianos, mas  fui recebida com um sorriso no rosto e com a maior atenção de todas as pessoas que me explicavam detalhadamente o que era cada produto.

Situado na região do Pari, o evento, que acontece todo domingo, é um ponto de refúgio e lembranças da terra natal para esses imigrantes. A cultura boliviana é tão presente que vai além de ter apenas barraquinhas de comidas e roupas no local. São shows com grupos de música, danças e serviços diferenciados que oferecem até cortes de cabelos típicos.

INFORMAÇÕES GERAIS:

  • Onde: Praça Kantuta, s/n
  • Como chegar:

Ÿ Metrô: Estação Armênia, linha azul do metrô.

Ÿ Carro:  Destino – Praça Kantuta.

*dica : A região não é das mais seguras, então vale estar atento nos arredores da feira. Normalmente também ficam flanelinhas perto de carros.

  • Horário: Das 11h às 19h – o horário de término pode variar chegando até às 21h,

dependendo do movimento e se está acontecendo algum evento especial no dia.

 *dica : As barraquinhas de comida começam a abrir por volta das 12h. Além disso, o movimento de pessoas da feira começa no meio da tarde, às 14h, uma vez que as atividades como apresentação de grupos acontecem durante esse horário. 

  • Forma de pagamento: Dinheiro! Muitas barraquinhas não passam cartão.
  • Língua: O espanhol é a língua predominante no local. Mas a maioria das pessoas entende português e te responde gentilmente, usando um português “arranhado”.

*dica:  Caso você esteja com dificuldade em entender o que eles falam, procurem atendentes mais jovens! Como há bastante filhos de imigrantes nascidos no Brasil, eles falam português perfeitamente e podem te explicar com mais clareza.

  • Tipo de programa: Possível fazer com amigos, casais e família. O local é super acolhedor e tem atividades até para crianças (cama elástica, piscina de bolinhas, entre outros – todos pagos, mas baratos).

COMIDA:

São diferentes opções de comidas e bebidas! Algumas barraquinhas tem toda uma estrutura com toldo, mesa e cadeira para  desfrutar de uma refeição completa. Já outras são apenas petiscos que você pode comer na mão enquanto conhece toda a feira.

Além das comidas para consumo imediato, você encontra por lá ingredientes naturais e industrializados para a sua cozinha! É possível também comprar a tradicional Inca Kola e bebidas alcóolicas!

O QUE EXPERIMENTAMOS:

Feira Kantuta

Huminta: Muita parecida com a nossa pamonha, difere-se pelo sabor e consistência. É um pouco mais seca e não é nem um pouco doce, ao contrário é salgada. Preço: R$ 2,00. Como fã da pamonha brasileira, confesso que esse sabor me causou uma certa estranheza. Não é ruim, apenas diferente do que estou acostumada.

Sateñas/tucumanas: Para nós, meros brasileiros, essas duas palavras remetem a empanadas. Mas conversando com amigos da América Latina descubro que por mais que aparentemente elas sejam iguais, em questão de preparo e ingredientes podem variar bastante (tipo de massa e recheio). Comi uma recheada de queijo por R$ 5,00 e estava bem gostosa. Existem opções mais baratas por até R$ 3,00.

Buñuelos: “Uma massinha tipo bolinho de chuva”, essa foi a explicação que recebi da jovem atendente. A barraquinha bastante popular estava cheia e me despertou o interesse. Até lembra bolinho de chuva, uma massa macia, mas não é polvilhado com canela e açúcar! A opção é comer com mel. Preço R$ 2,00. Super recomendo.

Api: Junto com o buñuelos todos estavam tomando esse simpático suco que parece de uva! Mas na verdade, é feito de milho roxo e outros ingredientes como canela, cravo, limão entre outros. Estávamos super cheios e não conseguimos provar, mas com certeza no próximo passeio vamos!

Alfajor: Estava gostoso, mas definitivamente poderia ter mais recheio! Preço: R$1,50.

Doces: Pedimos pelos mais populares na Bolívia:

Ÿ Golazo (chocolate): Casquinha de chocolate crocante por fora, que lembra Choquito, uma camada de biscoito e o centro de chocolate. Para os amantes de doce, ele não é doce o suficiente.

Ÿ Grosso (chiclete): Daqueles sabores bem artificiais de tutti-frutti. Mas mesmo assim achei bem gostoso e macio.

Ÿ Bazooka (chiclete): Estava muito duro =/ Não consegui mastigar por mais de 3 minutos!

COISAS:

São diversas opções de compras! Artesanatos, roupas, mochilas, chapéus e utensílios domésticos. São opções bastante tradicionais da região ou roupas/materiais comuns para o dia a dia das pessoas.

Detalhe para essa barraquinha específica. O dono nos explicou que sempre que há algum evento/atração especial eles tiram fotos. Só não ficou muito claro se ele vende essas fotos (o que é provável) ou distribui para as pessoas. O interessante é que você pode encontrar fotos bem antigas por lá!

Feira Kantuta

Outra barraca que merece destaque é essa em que faziam a pulseirinha com o nome na hora por R$5,00.

SERVIÇOS/ATIVIDADES:

Você pode sair com um novo corte de cabelo (cortes masculinos apenas) ou com a sobrancelha feita! Além disso, tem espaço infantil para as crianças e até uma quadra de futebol com juiz e tudo!

PALCO / APRESENTAÇÕES:

Tivemos sorte e fomos para a feira justo em um data especial, dia das mães na Bolívia (27 de maio). Nos explicaram especialmente aquele dia havia muito mais apresentações (sempre tem). Além disso o que notamos de diferente era a distribuição de rosas e um sorteio de prêmios (rifa a custo de R$ 1,00). Ps: Pelo o que entendemos até o cônsul estava por lá!

Caso você tenha um tempinho sobrando de domingo ou esteja cansado de fazer sempre as mesmas coisas por SP essa é um ótimo passeio para se fazer! <3

Entre em Contato

Ligue para +55 11 3287 6886 ou deixe sua mensagem