GO UP
Centro Hípico Paineiras

Centro Hípico Paineiras – Cavalgar é preciso

Pertinho de São Paulo, O Centro Hípico Paineiras convida a um farm day divertido para todas as idades –especialmente em família

O que fazer em um domingo de sol em São Paulo? É sempre uma questão. Daí a delícia da descoberta do Centro Hípico Paineiras, um haras em Araçariguama, a cerca de 50 quilômetros da capital (pela rodovia Castelo Branco), onde você pode andar a cavalo, fazer aulas de equitação, curtir a natureza e almoçar uma comidinha caseira sensacional.

Os cavalos são mansos, a propriedade é bem cuidada e o principal: você se sente super segura, especialmente com adolescentes e crianças, porque o lugar tem tradição.

O Sítio Paineiras, como primeiro ficou conhecido, pertence a família Andrade há mais de seis décadas. A partir de 1992, Almir de Andrade, um dos filhos, apaixonado por cavalos desde menino, resolveu se dedicar exclusivamente ao haras. Aos poucos, ele foi construindo a hípica, prestando serviços de hospedagem de cavalos, doma, aulas de equitação e passeios. Assim, em mais de 30 anos, Almir se tornou um grande incentivador na busca da melhor técnica na equitação, abrindo caminhos para quem precisa de acompanhamento.

Bem, não sou nem uma Anita Garibaldi. Fiz alguns passeios a cavalo na vida, mas não tenho experiência para galopar, subir ou descer trilhas. No entanto, senti confiança e fui encarando pequenos obstáculos, seguindo Almir, em comboio com amigos, em um passeio que dura cerca de uma hora. Primeiro subimos até a estrada mais próxima, “comendo poeira”, mas faz parte. Na volta, passeamos pela propriedade até chegar ao lago.

O cavalo Panamá teve paciência comigo e me encorajou a descer pela trilha íngreme, trotando de mansinho. Aprendi a segurar as rédeas e dar os comandos –a lição mais fundamental na equitação. “Se você não decide, o cavalo decide por você”, ensina Almir.

Pura verdade. Na volta, eu queria dar uma voltinha dentro do haras, para poder correr um pouquinho, mas Panamá não parecia estar a fim. Bastou eu soltar um pouco as rédeas para ele dar meia volta e tomar o caminho da baia, sozinho! Com a ajuda do Almir ele acabou voltando e eu tive uma segunda chance: dessa vez segurei firme e deu tudo certo.

Ou seja, cavalgar, além de ser um exercício e tanto, ensina o quanto é importante ter firmeza e clareza do que se quer fazer, de uma maneira também intuitiva, porque o cavalo sente se você está com medo ou se está segura. Isso vale para diversas situações na vida.

O haras oferece a possibilidade de fazer aulas equitação, durante a semana ou aos domingos, além dos passeios (que duram até 3 horas, e são cobrados por hora). Acima desse período, eles também organizam passeios mais longos, com parada para almoço e até pernoite, em cavalgadas noturnas ou diurnas, à beira-mar.

Depois do passeio, vale almoçar no restaurante do próprio haras, que inaugurou esse ano, com uma proposta de comida caseira em ambiente simples e super gostoso: galinha caipira, carne de panela, torresminho… ai, ai. Nada mal para um domingo de sol em São Paulo.

Centro Hípico Paineiras
Estrada da Aparecidinha, 5240 - Cruz das Almas Araçariguama SP
http://www.chpaineiras.com.br

Uma caçadora de histórias e maravilhas. Jornalista, escritora, cantora, viajante, cozinheira , aprendiz de dança, sempre em busca da próxima descoberta que desperte os cinco sentidos: o sabor de um novo prato, drink ou vinho (paladar), uma massagem, mergulho ou algo assim relaxante (tato), uma terapia com óleos aromáticos, chás com especiarias ou aquele perfume inédito (olfato), o pôr do sol visto de um rooftop ou as vistas mais incríveis para o mar e as montanhas (visão), e ainda um concerto, show, som ou simplesmente o barulho das ondas, do vento ou dos pássaros (audição). Rosane Queiroz foi editora da revista Marie Claire e da revista de bordo da GOL. Escreve sobre comportamento, gastronomia, sustentabilidade, viagem e lifestyle em publicações como Viagem e Turismo, Vida Simples, Folha de São Paulo, entre outras, além de atuar em produção de conteúdo de texto para livros. É autora de "Musas e Músicas –A mulher por trás da canção" (ed. Tinta Negra), livro reportagem em que conta quem são as musas inspiradoras de canções da MPB com nomes femininos. Na coluna Os Cinco Sentidos, compartilha experiências colhidas em suas andanças e viagens, com os cinco sentidos bem abertos. Mantém o Instagram @oscincosentidos.

Leave a Reply