GO UP

Casarão Alto Mucugê – O céu é o limite

No topo de uma falésia, a Pousada Casarão Alto Mucugê tem uma vista de tirar o fôlego para o mar de Arraial D’ajuda, no Sul da Bahia. Surpreenda-se com as suítes charmosas, a gastronomia de alto nível e o astral lá em cima

Alto astral, alta gastronomia, alto nível. Na pousada Casarão Alto Mucugê, o céu é o limite –a começar pela vista para o mar, do topo de uma falésia, em uma localização privilegiada em Arraial D’Ajuda.

Era um domingo chuvoso. Saímos de um hotel maravilhoso, o Maitei Hotel e precisávamos de um lugar para uma escala, antes de seguir para Trancoso. Apenas por uma noite. Gosto de deixar brechas nos roteiros de viagem porque abrem espaço para as surpresas do acaso. Nada programado. E a mágica acontece.

Chegando ao Casarão de Mucugê

Foi assim com o Casarão. A ideia era ir até lá para conhecer a amiga de um casal de amigos, a chef Gisele Salume, a “Gi”, que comanda o bistrô da pousada. Depois de uma extensa troca de mensagens, repleta de pausas, em ritmo baiano, combinamos com a Gi um jantarzinho e um pernoite. “Falei com a Elô e ela vai receber vocês”, disse ela, referindo-se a Eloisa Seixas, ex-atriz e bailarina, proprietária do Casarão e personalidade lendária de Arraial.

Mesmo com chuva, o visual da propriedade, no alto do morro Mucugê, é arrebatador. De um lado, vê-se o charmoso casarão de tijolos aparentes, móveis rústicos e amplas janelas, que me lembrou algum lugar do Sul da França no Sul da Bahia. Entretanto, no jardim, um deck com piscina e uma canoa que faz as vezes de sofá, em um lounge ladeado por coqueiros, com vista para o mar. 

Em torno da piscina ficam as suítes, com uma mini cozinha e aquela mega cama com mosquiteiro branquinho que faz você se sentir na Bahia. Todos os quartos do Casarão Alto Mucugê têm uma varanda térrea com rede, banheiro amplo e ar-condicionado. Existem várias opções de acomodação –algumas novas, dentro do casarão – decoradas com o bom gosto da Elô, que nos recebeu com o maior carinho e muitas histórias de sua vida e do Casarão. Um lugar com alma. 

O que dizer, então, do jantar inacreditável preparado pela chef Gisele Salume? O Bistrô do Casarão funciona sob reservas e o menu pode ser customizado ao sabor do cliente. Ou do dia. No nosso caso, apenas concordamos em comer peixe ou frutos do mar. 

Alta gastronomia e alto astral

Sabe o que a Gi aprontou? Um peixe branco grelhado, sobre uma cama de purê de banana, escoltado por um camarão na moranga em miniatura – sim, preparado com aquelas abóboras pequenas, com tampinha e tudo! Tinha ainda palmito grelhado, cebola roxa caramelizada e uma couve fininha, crocante, feito enfeite comestível. Para acompanhar, pedimos o vinho branco Casas del Bosque, chileno, surpreendente. 

O jantar servido à luz de velas, na varanda, foi uma festa, com muita conversa boa, música e risos. Tanto que o dia amanheceu com gosto de despedida, amenizado pelo café-da-manhã –um banquete à parte. Servido até meio-dia, em uma mesa coletiva, você tem a sensação de estar em uma grande família. Os hóspedes sentam juntos, trocam impressões sobre os pães, bolos, e outras gostosuras preparadas pela Deja, a funcionária mais antiga do Casarão. Basta morder o primeiro pão de queijo para entender por quê. 

A apenas 250 metros do centrinho de Arraial, o Casarão Alto Mucugê tem ainda uma localização excelente.  Além disso, Praia de Pitinga fica a apenas 3 km de distância e a famosa Praia de Taípe, a 5 km. Costuma também ser o cenário de eventos e casamentos. No nosso caso, foi uma linda surpresa do acaso. Uma noite que valeu por muitas –bem perto do céu. 

@casaraoaltomucuge                                                                                                              Fotos: @arapa
Siga @oscincosentidos

Uma caçadora de histórias e maravilhas. Jornalista, escritora, cantora, viajante, cozinheira , aprendiz de dança, sempre em busca da próxima descoberta que desperte os cinco sentidos: o sabor de um novo prato, drink ou vinho (paladar), uma massagem, mergulho ou algo assim relaxante (tato), uma terapia com óleos aromáticos, chás com especiarias ou aquele perfume inédito (olfato), o pôr do sol visto de um rooftop ou as vistas mais incríveis para o mar e as montanhas (visão), e ainda um concerto, show, som ou simplesmente o barulho das ondas, do vento ou dos pássaros (audição). Rosane Queiroz foi editora da revista Marie Claire e da revista de bordo da GOL. Escreve sobre comportamento, gastronomia, sustentabilidade, viagem e lifestyle em publicações como Viagem e Turismo, Vida Simples, Folha de São Paulo, entre outras, além de atuar em produção de conteúdo de texto para livros. É autora de "Musas e Músicas –A mulher por trás da canção" (ed. Tinta Negra), livro reportagem em que conta quem são as musas inspiradoras de canções da MPB com nomes femininos. Na coluna Os Cinco Sentidos, compartilha experiências colhidas em suas andanças e viagens, com os cinco sentidos bem abertos. Mantém o Instagram @oscincosentidos.

Leave a Reply