GO UP

Rota da uva Tannat – 2 vinícolas para degustação

Uma das delícias do Uruguai é descobrir de perto os vinhos da uva Tannat. Típica de regiões rochosas, a Tannat está para o Uruguai como a Malbec para a Argentina e a Carménère para o Chile. Pequena e concentrada, essa uva produz um vinho encorpado, com alto teor antioxidante e benefícios para a saúde que os enólogos não se cansam de enumerar. Então, tin-tin! É mesmo o vinho perfeito para acompanhar as suculentas carnes uruguaias, como as parrillas e cortes de cordeiro, que nada deixam a dever aos bons bifes da vizinha Argentina.

Visitar uma bodega uruguaia, portanto, é um programa e tanto. Grande parte das vinícolas é jovem e artesanal, com produção pequena. E os preços dos vinhos, em geral, são camaradas em real. A associação Los Caminos del Vino organiza visitas guiadas a bodegas boutique, de produção pequena, que incluem degustações ou almoço harmonizado com os vinhos locais. A 20 minutos de Montevidéu, a Bouza é das mais concorridas, para quem busca um passeio clássico de enoturismo. Boa parte da produção, ali, é orgânica. Dá para caminhar entre os vinhedos, e conhecer, além da Tannat, uvas da Península Ibérica, como a branca Albariño, da Galícia, e almoçar em grande estilo no restaurante gourmet. No menu do dia, o baby beef com redução de Tannat é a tradução do Uruguai em carne e vinho. Sem esquecer, na sobremesa, do famoso dulce de leche uruguaio.

Bodega Bouza

Em Punta del Leste (130 km da capital), seguindo pela orla, depois do centro, há a imensidão marítima de Punta Ballena. A porta de entrada do balneário sugere um passeio até a bodega Alto de la Ballena, envolta pelas montanhas. Fruto do sonho de um casal apaixonado por vinhos, mas que nada sabia sobre como produzi-los, a história da jovem vinícola é no mínimo inspiradora, especialmente quando contada diante das parreiras a perder de vista. A primeira plantação de uvas aconteceu na primavera de 2001, até chegar a oito hectares que produzem as variedades Merlot, Tannat, Cabernet Franc, Syrah e Viognier. A primeira colheita foi há pouco mais de uma década, gerando a pequena safra de estreia, em 2007.  No mês de junho, acontece o 7o Festival del Tannat y el Cordero, vale consultar o menu da temporada. No mirante, a degustação inclui os cinco tipos de vinhos, pães e queijos artesanais. O horizonte se estende, em tons de verde, e o silêncio convida a contemplação.

Punta del Este Turismo

Punta del Este Turismo

Fotos: Felipe Gombossy

 

Vá lá:

É recomendável agendar as visitas

www.loscaminosdelvino.com.uy

www.bodegabouza.com

www.altodelaballena.com

 

Curta @oscincosentidos no Instagram

Veja mais posts aqui!

Uma caçadora de histórias e maravilhas. Jornalista, escritora, cantora, viajante, cozinheira , aprendiz de dança, sempre em busca da próxima descoberta que desperte os cinco sentidos: o sabor de um novo prato, drink ou vinho (paladar), uma massagem, mergulho ou algo assim relaxante (tato), uma terapia com óleos aromáticos, chás com especiarias ou aquele perfume inédito (olfato), o pôr do sol visto de um rooftop ou as vistas mais incríveis para o mar e as montanhas (visão), e ainda um concerto, show, som ou simplesmente o barulho das ondas, do vento ou dos pássaros (audição). Rosane Queiroz foi editora da revista Marie Claire e da revista de bordo da GOL. Escreve sobre comportamento, gastronomia, sustentabilidade, viagem e lifestyle em publicações como Viagem e Turismo, Vida Simples, Folha de São Paulo, entre outras, além de atuar em produção de conteúdo de texto para livros. É autora de "Musas e Músicas –A mulher por trás da canção" (ed. Tinta Negra), livro reportagem em que conta quem são as musas inspiradoras de canções da MPB com nomes femininos. Na coluna Os Cinco Sentidos, compartilha experiências colhidas em suas andanças e viagens, com os cinco sentidos bem abertos. Mantém o Instagram @oscincosentidos.

Leave a Reply