Home » Veneza & Biennale – A cada ponte um achado – Part I

Veneza & Biennale – A cada ponte um achado – Part I

Itália | novembro 2019 |
Biennale

Todos os anos Veneza pode ser um destino interessante para os interessados; até o dia 24 de novembro a 58va Biennale de Arte acontece. Para 2020, a 17ma Biennale de Arquitetura, e de tal modo elas vão se intercalando, ano após ano. A cidade é charme puro a cada esquina, com achados a cada canto.

Getting around

A experiência da Biennale é bastante enriquecedora e cansativa também, no mundo perfeito (e utópico) cinco dias para tudo seriam ideias, embora três solucione para meros mortais, assim como o “Plus ticket” oferece; três dias consecutivos para absorver tudo. Além do ticket, não esqueça do ticket do ferry, o meio de transporte público mais simpático e com brisa do mar Adriático.

Biennale – “May You Live In Interesting Times”

Ralph Rugoff, diretor da Hayward Gallery, situada em Londres (personal favorite, que está com uma retrospectiva ótima do Bridget Riley até 26 de Janeiro de 2020), foi o curador desta edição da Bienal. A exposição se dá, oficialmente, no Arsenale, aonde, no século XII, um antigo complexo de estaleiros estava instalado – a volumosa e extensa estrutura não deixa mentir – e no Giardini, um parque, aonde todos os artistas presentes no Arsenale também tem um trabalho nessa locação. Sem mencionar os pavilhões de países, onde o Brasil e outros mais de 30 países tem uma disposição – dos mais diferentes tamanhos e formatos – para chamar de sua.

 “May You Live In Interesting Times,” como foi intitulada a edição deste ano, nas palavras de Paolo Barrata, presidente da Bienal, contém em “tempo interessantes” a ideia de tempos desafiadores, até ameaçadores, mas também um convite para sempre estar atento ao curso de eventos humanos e sua complexidade, dado que estamos em um momento que as pessoas buscam simplificá-los, algo gerado por conformismo e medo.

            Já para Rugoff, a exposição foca em artista que provocam, em hábitos existentes de pensamentos, acender a leitura de objetos, imagens, gestos e situações; o trabalho é aflorar distintas perspectivas.

Além da Bienal – Last, but not least

A cidade vira um epicentro artístico, cheio de exposições; algumas paradas que podem ser bastante frutíferas como o Collezione Peggy Guggenheim, museu de arte moderna, ótimo acerto em um prédio com entrada pelo o canal (há outra via terrestre). Outra é Palazzo Fortuny localizado em San Marco, área bastante central e atualmente com exposições da reconstrução parcial da coleção de Mariano Fortuny e uma retrospectiva do coreano Yun Hyong-Keun. Ou Palazzo Grassi e o Punta della Dogana para uma seleção de arte contemporânea. Por fim, até a Igreja di Santa Maria della Visitazione ganhou uma instalação esse ano.

Endereços
 
 Biennale
 Arsenale
 Campo de la Tana, 2169/f, 30122 Venezia VE, Italy
 Giardini 
 Calle Giazzo, 30122 Venezia VE, Italy
  
 Collezione Peggy Guggenheim 
 Dorsoduro, 701-704, 30123 Venezia VE, Italy
 Palazzo Fortuny 
 S. Marco, 3958, 30124 Venezia VE, Italy
 Palazzo Grassi 
 Campo San Samuele, 3231, 30124 Venezia VE, Italy
 Punta della Dogana 
 Dorsoduro, 2, 30123 Venezia VE, Italy
 Chiesa di Santa Maria della Visitazione 
 Sestiere Castello, 30122 Venezia VE, Italy 

Entre em Contato

Ligue para +55 11 3287 6886 ou deixe sua mensagem