Home » 72 horas em Roma

72 horas em Roma

Itália | março 2019 |
72-horas-em-roma

Um roteiro esperto para aproveitar o melhor da “cidade eterna”, uma das capitais mais românticas e eletrizantes do mundo. Entre ruínas clássicas e ruas vibrantes, saiba como viver Roma em 72 horas

Uma vida não seria suficiente para desvendar todos os encantos de Roma. Capital italiana desde 1870 e centro mundial do cristianismo, a “cidade eterna” é um dos destinos mais visitados em todo o mundo. Roma existe há quase três mil anos e combina o peso de sua história com a leveza de coração da dolce vita

Além do seu trânsito caótico e 2,8 milhões de habitantes, é uma cidade eletrizante, capaz de agradar modernos, boêmios, gourmands e fashionistas. Mesmo assim, você pode visitar a maioria das atrações a pé. Uma mesma área concentra Coliseu, Fontana di Trevi e, claro, o Vaticano. Passear pelos bares, cafés e tomar um gelato está entre os programas saborosos. Tudo isso sem pressa, perdendo o fôlego diante de cada praça e monumento romano. Vem com a gente:

Dia 1

Manhã

Na primeira caminhada, suba os degraus do Capitólio para admirar dois milênios e meio de história na linda Piazza del Campidoglio, projetada por Michelangelo em 1530. Do outro lado da Praça, você pode aproveitar para visitar o Musei Capitolini. Além disso, quando bater a fome, atravesse a Piazza Venezia até a Antica Birreria Peroni (Via San Marcello 19, 00 39 06 67 95 310). Um bar estilo romano, onde locais e turistas se encontram para saborear massas e carnes. Além, é claro, das boas cervejas.

Tarde

Hora de encarar a multidão para visitar o complexo do Coliseu. Mesmo que sempre tenha movimento, a mais famosa ruína de Roma é imperdível. A rota dos visitantes se estende, hoje, para as passagens subterrâneas pelas quais os gladiadores e feras selvagens faziam suas entradas. Assim, caminhe do Coliseu, passando pelo Fórum até o Monte Palatino, onde imperadores como Augusto construíram seus palácios. Por fim, se quiser fugir da muvuca, desvie-se até a vizinha San Clemente (Via Labicana 95). Uma atração interessante, mas menos divulgadas de Roma.

Noite

No fim do dia, corra para Monti, o bairro boho de ruas de paralelepípedos e lojas vintage. De fato, o melhor local para garimpar sapatos e joias da moda é a Via del Boschetto. Ali, você encontrará o restaurante L’Asino d’Oro (Via del Boschetto 73, 00 39 06 4891 3832), que serve pratos gourmet a preços acessíveis. Boa pedida para o jantar. No entanto, para um aperitivo ou uma bebida depois, o bar de vinhos da velha escola Ai Tre Scalini oferece uma degustação do Monti pré-moderno (Via Panisperna 251, 00 39 06 4890 7495).

DIA 2

Manhã

Com a finalidade de incluir o Vaticano em suas breves férias romanas, prepare-se para filas em St. Peter e reserve sua vaga nos Museus do Vaticano (00 39 06 6988 4676) on-line, para evitar filas. As duas paradas obrigatórias por lá são a Praça de São Pedro e a Basílica de 324, cuja cúpula de Michelângelo oferece ao visitante uma das mais belas visões de Roma. Logo depois, para um gelato, você vai tropeçar, na Via dei Coronari (rota que leva ao Vaticano), com a Gelateria del Teatro. Os sabores incluem sálvia e framboesa, amêndoa e figo, e “vecchia Roma”, de ricota romana-judaica e torta de cereja silvestre. Em conclusão, almoce e prove as melhores cervejas artesanais de Roma no moderno gastropub Birra del Borgo (Via Silla 26, 00 39 06 8376 2316), a uma curta caminhada do Vaticano.

Tarde

Que tal umas comprinhas? Hora de seguir para as boutiques da Via dei Condotti, passeando pelas lojas mais chiques (e caras). Além disso, nos arredores, vale visitar Via dei Giubbonari, alegre e com preços mais acessíveis. O passeio é curto dali para a Galleria Doria Pamphilj (Via del Corso 305, 0039 06 679 7323). Que abriga Caravaggios e obras de Breughels, Ticiano, Rafael e Velasquez, em um ambiente austero e aristocrático.

Noite

O aperitivo pode ser no Testaccio, que já foi o principal centro comercial de Roma e hoje concentra bares e restaurantes. Entre 19h e 21h, a Enoteca Palombi (Piazza Testaccio, 41), é um bom lugar para uma bebida ou comidinhas de buffet. Logo depois, programe o jantar em uma das novas trattorias criativas de Roma. Por exemplo, em boho Trastevere, La Gensola (Piazza della Gensola 15; 00 39 06 581 6312) oferece uma mistura de especialidades romanas e pratos de frutos do mar à moda siciliana, em ambiente descontraído.

DIA 3

Manhã

Não se pode sair de Roma sem visitar a Fontana di Trevi, o ponto turístico mais famoso da capital. Além de ver de perto a fonte, vale seguir a tradição de jogar uma moeda na água para fazer um pedido. Diz a lenda que o gesto garante ao visitante o retorno à cidade. A ideia é ir até lá o bem cedo, assim que o sol raiar, ou tarde da noite (você decide). Mas cuidado com os pertences pois o local é point dos batedores de carteira. Entretanto, dali, você pode seguir para o centro e almoçar na trattoria Armando al Panteão (com reservas pelo tel. 00 39 06 6880 3034 ). Clássicos como espaguete à carbonara e o famoso tagliolini de espargos surpreendem o paladar.

Tarde

Logo depois do almoço, na praça da Rotonda, aproveite para ver o templo de todos os deuses: o Panteão. O monumento clássico (com entrada gratuita) resistiu ao tempo e várias transformações ao longo dos anos. Seu interior tem uma espécie de “olho”, por onde entra a luz. Além disso, o piso é quase todo original e guarda o túmulo do pintor Raffaello e do primeiro rei da Itália, Vittorio Emanuele II de Saboia. 

Noite

Para a pizza de despedida, garanta uma mesa na Da Francesco (00 39 06 686 4009), na Piazza Navona. Sempre lotada e barulhenta, oferece massa fina e sabores inesquecíveis. Entretanto, há também um espaço reservado no andar de cima, para quem quer um menu mais refinado. Em conclusão, se for no verão, vale sentar na calçada para curtir o clima da saideira à luz da lua.

Onde ficar em Roma

Membro da seleta associação de luxo The Leading Hotels of The World, não apenas, o Hotel Majestic Roma tem uma herança neoclássica, reinventada para o século 21, em uma das mais glamurosas residências da cidade. Inaugurado em 1889, na Via Veneto, a poucos passos da Villa Borghese, da Fontana di Trevi e das melhores boutiques da cidade. Suas acomodações de linhas curvas reproduzem uma atmosfera clássica. Não apenas, elegante e intimista, o restaurante do hotel se abre para um terraço, com vista e sabores italianos incríveis.

72-horas-em-roma

Quando ir a Roma

Na capital italiana as estações do ano são bem definidas. Portanto, no verão – cuja temperatura média/máxima fica na casa dos 30°C – o movimento de turistas é maior, resultando em cidade cheia. O lado bom desse calorão, no entanto, é poder explorar as atrações ao ar livre que a cidade oferece e tomar muitos gelatos! 

Quer mais inspiração de viagem? Quer saber dos eventos mais bacanas que acontecem pelo mundo? 
Siga nosso Instagram e Facebook!

Entre em Contato

Ligue para +55 11 3287 6886 ou deixe sua mensagem